Apesar de parecer algo simples, os rodapés contam com grandes variações em altura e detalhamento. Existem os rodapés que são mais altos, visando destaque para casas com pé-direito alto ou duplo. Os baixos são simples e tradicionais. Além dos lisos e frisados, onde o primeiro deixa o destaque para a decoração e o outro, traz a decoração para o rodapé, o que lhe confere estilo.

Além disso, há também tipos distintos de rodapés: Embutidos, sobrepostos e invertidos ou flutuantes. Abaixo você confere cada um deles e suas diferenças.

Embutido

O rodapé embutido fica rente à parede, dando sequência natural ao revestimento. Com isso, esse tipo de rodapé precisa ser instalado junto com o revestimento, já que ele não tem nenhum sobressalto.

Este tipo de rodapé não é tão comum, mas traz uma elegância ímpar para uma parede, podendo ser discreto ou marcante, dependendo do revestimento escolhido na hora da aplicação.

Sobreposto

Mais comum nas casas e entre os estilos de decoração, o rodapé sobreposto é o tipo mais clássico dentre todos. É instalado após a instalação do piso e revestimento, por isso ele fica sobreposto ao revestimento.

Combina com todo o tipo de decoração, até por ser o rodapé mais comum. Conta com diversos materiais – falaremos abaixo – e alguns desses materiais podem ser pintados ou customizados para harmonizar ainda mais com o ambiente e usos.

Invertido ou flutuante

O rodapé invertido é o que fica para “dentro” da parede, o que dá a impressão de que a parede está flutuando. Por isso o termo também é usado para definir este tipo.

Bastante incomum, o rodapé flutuante é moderno e ousado, encaixando bem em decorações que entram nessas descrições como clean, minimalista, colorida e industrial, por exemplo. Como cria-se um espaço entre o chão e a parede, alguns projetos contam até com iluminação no rodapé!

Menu